Perguntas frequentes sobre a paralisia facial de bell

01. Qual é a causa da Paralisia Facial Periférica ou Paralisia de Bell?

Geralmente a maioria dos casos de paralisias faciais periféricas não apresenta causa identificável pois o número de indicativos são muitos, conforme vamos ver a seguir.

Uma causa comum de Paralisia Facial são as infecções do ouvido, estima-se que uma boa parte desses casos sejam gerados por reativação do vírus herpes, que ficaria latente nos nervos por muitos anos e eventualmente geraria uma inflamação que causaria boa parte das paralisias faciais.

Outras causas mais freqüentes são os traumas, ou seja, batidas, que podem causar edema do nervo (concussão) ou fraturas no osso do ouvido, lesando o nervo no trajeto da fratura.

Choques térmicos também costumam ser causa de paralisia facial, sobretudo naqueles casos em que repentinamente o indivíduo submete o corpo a grandes variações de temperatura, como sair de um banho quente e logo em seguida sair ao ar livre num dia de muito frio para pendurar a toalha, por exemplo.

Outras causas infecciosas podem ser pensadas em casos selecionados, tais como HIV, Herpes Zoster e Doença de Lyme; causas imunológicas, como a Polirradiculoneurite, a Miastenia Gravis e a Sarcoidose; causas vasculares, como conflito neuro-vascular grave e isquemia do nervo facial; causas tumorais, como metástase ou neurinomas .

02. Eu tive um AVC?

Na maioria dos casos, não. A paralisia facial que afeta a metade da face (testa, olho e boca) é chamada de “Paralisia Facial Periférica” (PFP) e apresenta uma lesão que acontece no nervo da face, pertencendo este ao sistema nervoso periférico. No caso de Paralisia Facial causada por AVC, a lesão acontece no sistema nervoso central, precisamente no cérebro, e a face não fica completamente paralisada (o olho fecha e a testa se movimenta) além de ocorrerem outros sintomas associados como perda dos movimentos de braço e/ou perna, dificuldade de se expressar através da fala, entre outros.

03. Existe a possibilidade de eu ficar com Paralisia Facial Periférica (PFP) para sempre?

O risco existe porém é muito pequeno, principalmente se a procura a um médico for rápida e os tratamentos indicados forem seguidos corretamente. Terapias alternativas também podem ajudar.

04. Quando eu vou melhorar?

Não há como especificar exatamente qual será o tempo de recuperação. Cada organismo reage de uma forma e tudo depende também do tipo ou gravidade da lesão sofrida. Há casos em que o paciente recupera-se 100% em apenas um mês. Por outro lado, existem casos em que a recuperação se prolonga por 6 meses, 1 ou 2 anos. Tenha paciência e siga o tratamento corretamente.

05. Estou com Paralisia Facial Periférica (PFP) há mais de 2 anos e não melhorou, o que pode ser feito para eu melhorar?

Quando a PFP é de longa data ou crônica, existem procedimentos cirúrgicos que ligam o nervo da face afetado a outro nervo facial sadio para recuperar os movimentos total ou parcialmente, procedimento também conhecido como cross-face. Existem outras técnicas cirúrgicas para tratar estes casos. Para isso você deve procurar um Otorrinolaringologista que ira avaliar e orientar quanto ao melhor procedimento a ser feito. Terapias alternativas aqui descritas também podem ajudar.

06. Quais são os tratamentos indicados para a Paralisia Facial ou Paralisia de Bell?

Tudo depende da causa da paralisia. Comumente são usados corticóides (associado a um anti-viral ou não), colírio para ser usado no olho do lado afetado pois, como este não pisca, não há a correta lubrificação do olho, podendo causar em casos mais graves úlcera na córnea levando a quadros de perda de visão. Vitaminas do complexo B também são utilizados em alguns casos. Fisioterapias faciais que podem incluir simples exercícios de estimulação da musculatura e nervos ou até estimulação com pequenos choques elétricos na face. Mas atenção, jamais aplique qualquer tipo de tratamento ou medicação sem procurar um médico. Terapias alternativas também são utilizadas para complementar o tratamento médico.